"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" A. S. Exupéry
   
 



BRASIL, Sudeste, CAMPINAS, CENTRO, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English, Arte e cultura, Livros, baladas
MSN - juninholda@hotmail.com
 

  Histórico
 14/11/2004 a 20/11/2004

 31/10/2004 a 06/11/2004

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis





O que é isto?
 

 
 

"A Grandeza não está em receber honras, mas sim em merecê-las." Aristóteles

  É uma diferença muito significativa essa questão, altera todo um contexto no qual a sociedade com suas regras, pelas quais, cria títulos, muitas vezes com valores consideráveis e em grande parte lança outros com caráter fúteis para abastecer o orgulho de um determinado nicho.

  A consideração a respeito disso está atrelada ao valor que considero ao ato célebre de reconhecer méritos a quem de fato os merece. É de extrema importância oferecer tal titulação a quem realmente os merece ou até mesmo deliciarmos com o ato se de fato a honra nos for vinda por intermédio de nossa competência e seriedade. Já que para chegar nessa posição, houve um grande caminho a ser percorrido e com certeza não foi e nem deve ter sido resumindo em nenhuma hipótese, pois é justamente pelo esforço e significado que o ato obteve que se pode fazer a devida condecoração e distribuição das honras.

  De correto seria importânte que todos tivéssemos a devida ética para merecer-mos nossas honras, sendo que dessa maneira elas se tornem grandes e com significado, não apenas se resumir a títulações fraudolosas que estão mais ligadas a influências políticas ou econômicas que mal conseguem maquiar toda sujeira que perpassa por elas.

 



Escrito por Juninho às 17h19
[] [envie esta mensagem
]


 

 

A responsabilidade com o que se Cativas!

 Preciso fazer uma replica ao tema de meu blog para iniciar o texto que pretendo expor "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"( A. S. Exupéry) esse breve trecho dessa grande obra de Exupéry pode deixar claro a mensagem que pretendo passar, a influência da obra O Pequeno Príncipe em minha vida é sem sombra de dúvidas algo de extrema importância para entender o comportamento humano diante do relaciomento entre as pessoas, nas quais enquadram-se: família, amigos e outros que proporcionaram algum sentindo especial em nossas vidas.

  A importância de valorizar o que se cativa, termo esse que o autor coloca com muita adequação deveria ser aplicado a todos nós, essa responsabilidade que necessitamos de exercer a quem se torna importante em nossas vidas, muitas vezes é deixado em conta a favor de nosso egoísmo e prepotência. É contundente perceber o quanto podemos deixar certas tarefas necessárias ao bom relacionamento de lado, finalizar relações e deixar com que as melhores lembranças e até mesmo o ser que participou com você de todas trocas e apredizagens se morra, como se o descarte fosse algo apropriado e mais indicado pra se fazer. É triste depois de ser cativado por alguém simplismente perceber que a responsabilidade com que a pessoa que o fez deveria assumir, acaba se resumindo em uma falta de sensibilidade a ponto de transformar tudo aquilo que um dia foi vivo em morto. Não considerar nem mesmo suas boas qualidades e a trocas que foram exercidas durante uns dias, semanas, meses e anos de convívio. Toda a beleza que um dia foi exercida no contato com os seres cativantes vão de forma imediatamente sendo exterminadas em um tempo breve e insignificante diante da grandiosidade que os dois representaram pra si.

  Essa indignação ao meu ponto de vista é também aplicada a mim, pois sou humano e tenho cometido esse pecado em algumas vezes, mas tento com o passar do tempo desenvolver cada vez mais uma sensatez digna de cumprir o papel proposto pela questão de quem cativa, precisa ser eternamente responsável por aquilo que cativou, afinal não cativamos coisas e sim seres.



Escrito por Juninho às 15h55
[] [envie esta mensagem
]


 

 
[ ver mensagens anteriores ]